nº 32 ano 9 | Março 2018
Resenha

Quando um livro vira um clássico

Por Priscilla Oliveira Xavier

Quando a rua vira casa, de Arno Vogel, Marco Antonio da Silva Mello e Orlando Mollica, publicado originalmente em 1989, com apresentação de Carlos Nelson Ferreira dos Santos, chega à sua quarta edição, pela Editora EDUFF, com a apresentação de Felipe Berocan Veiga e Soraya Silveira Simões. O livro é o relatório final de um trabalho de equipe desenvolvido em 1979, no bairro do Catumbi e na Selva de Pedra, na cidade do Rio de Janeiro, junto ao Centro de Pesquisas Urbanas do Instituto Brasileiro de Administração Municipal. Com o enquadramento conceitual e metodológico a cargo de Arno Voguel e Marco Antonio Mello, e registros visuais de Orlando Mollina, o relatório da pesquisa “Espaço social e lazer, estudo antropológico e arquitetônico do bairro Catumbi” se consolidou como uma leitura densa, de um recorte metropolitano carioca, abarcando a materialidade e o simbólico, as afetividades e o cotidiano, com cerne antropológico e viés crítico.

A apresentação atual, escrita por Felipe Berocan Veiga e Soraya Silveira Simões, é loquaz ao discorrer sobre a necessidade e o quilate da reedição. Conduz o leitor à conjuntura política, social e econômica que animou o trabalho de pesquisa, um período de intensas transformações urbanísticas que adaptavam a cidade do Rio de Janeiro a um projeto de integração nacional, com peso na concepção urbanística racional e progressista. Simultaneamente, remontam o estado da arte das pesquisas sobre o urbano, deflagrando por um lado um certo ineditismo do investimento antropológico para produzir compreensões sobre o fenômeno urbano no Rio de Janeiro, e por outro a necessidade de aproximação dos conceitos e metodologias das Ciências Sociais ao campo da Arquitetura e do Urbanismo. A costura da conjuntura, de questões urbanísticas, antropológicas, sociológicas e políticas, mais do que ratificar a relevância do trabalho como um marco nas pesquisas do campo disciplinar da Antropologia Urbana, atualiza o conteúdo e endereça o livro como essencial à formação dos que se dedicam aos fenômenos urbanos, aos que produzem pesquisas nas cidades, aos que fazem pesquisas sobre as cidades e aos que nutrem algum interesse pelo Rio de Janeiro e a dinâmica e história dos seus bairros. Revela ainda que a quarta edição é lançada como uma espécie de acerto de contas, um ajuste moral, reparando equívocos das edições anteriores, cujas fichas catalográficas confundiam créditos institucionais com autorais, além de indexar o livro nas áreas de Renovação Urbana e Planejamento Urbano em vez de Antropologia Urbana.

Quando um livro vira um clássico
Priscilla Oliveira Xavier
priscillaxavier@gmail.com
é doutora e mestre em Planejamento Urbano e Regional (IPPUR-UFRJ). Graduada em Ciências Sociais (IFCS/UFRJ) e Comunicação Social (FACHA).